TV Vila EMBRATEL

declarações²

Por: Letícia Barbosa

Bom galerinha que acompanha o site da TV Vila Embratel, eu sou Letícia Barbosa e irei falar um pouco da minha trajetória na oficina de Produção Audiovisual. Bom está sendo muito legal, eu estou amando estar participando do projeto ao lado de pessoa maravilhosas que desempenham um trabalho de grande aproveito para todos que estão participando. Eu creio que venho colaborando para o desenvolvimento do projeto e ao longo do tempo fazendo coisas muito legais como: operar na filmadora, trabalhar na parte de edição e sendo repórter. Eu espero que curtam todas as matérias postadas no Site.

Beijo a todos!

 

 

Por: Ana Karoline

Olá eu sou Ana Karoline e participo do projeto TV VE, eu gosto muito de fazer o curso. A nossa professora, Anissa, está nos ensinando a criar sites e estou adorando mexer nessa parte. É muito bacana fazer parte desse curso! Eu gosto de fazer edições de vídeos, gosto de fazer reportagens e o professor Márcio Carneiro costuma chamar a gente de idosos, porque somos da primeira turma.

Beijo Galera!

DECLARAÇÕES

Por: Thamires Lopes

Hoje (dia 26) eu, Thamires, vou contar um pouco sobre o que acontece no TVVE. Sou aluna da primeira turma - mais conhecidos como "idosos" pelo professor Márcio Carneiro - e aqui fazemos diversas coisas como: editar videos e sites, fazer matérias, etc.

Já fizemos passeios que contribuiram muito para o nosso desempenho aqui no projeto. Sábado passado a Anissa nos ensinou a criar um site no Webs (muito bacana) o meu se chama Fala Galera Show e quem quizer pode ir lá da uma espiadinha... Só avisando, ainda não está completamente editado, mas aceito sugestões. Tá?

Bom! Ainda sou nova no assunto de editar site, mas acho que estou me saindo bem hehe'. Pois é galerinha do TVVE é isso espero que gostem do nosso trabalho. Beijos

 

Por: Leandro Dias

Olá! Meu nome é Leandro Dias, sou aluno do projeto TV Vila Embratel e participo a 5 meses. Eu entrei no projeto porque achei muito interessante. Frequento porque gosto de editar vídeos e trabalhar com as câmeras. O meu objetivo no projeto é ajudar outros jovens a participarem. Eu adoro o TV Vila Embratel. 

 

 Por: Daniela Mirian

Bom galerinha, o que eu posso dizer da TVVE é que é um projeto muito bom, que traz grandes benefícios para os jovens da nossa comunidade. Aqui podemos nos redescobrir, aprender como trabalhar com as câmeras, como editar vídeos, fotos e produzir matérias. Isso faz com que percebamos que, independentemente da nossa comunidade ter alguns probleminhas, ainda há esperança para nossos jovens. Eu, particularmente, me sinto parte desse projeto (sem convencimento é claro) me sinto bem quando saio da minha casa para participar de algo tão sensacional (e é assim que eu vejo o projeto, como algo sensacional) e acho muito bonito o professor Márcio Carneiro, Pablo Habibe, as meninas do projeto se empenharem a ajudar nossos jovens e, mais gratificante ainda, é ver que os jovens se interessam e se esforçam para aprender e participar assiduamente.

Beijo e é isso!

MÃOS A OBRA, PESSOAL!

 Por: Tayara Ribeiro

No dia 19, os alunos de todas as turmas do TVVE tiveram a oportunidade de contar com novas experiências. Iniciou-se um trabalho com a turma I, onde eles puderam desfrutar um pouco do lado TI da coisa. Criaram sites pessoais a partir de uma plataforma chamada Webs, sendo este o meio pelo qual também foi criado o site do Projeto TVVE.

Anissa (aspirante à professora), estreou em sala de aula de forma engraçadinha: muito professorinha essa minha amiga. Aula legal, alunos em produção e super animados com a novidade proporcionada. Futuramente, é desejo nosso que os alunos possam tornar-se monitores do Projeto - nada melhor do que trocar ideias com alguém que já veio do lugar para onde você está indo. Né não?

Então, cada um criou seu próprio site e com seu próprio tema, tornaram-se responsáveis pela suas atualizações. Vimos garotos determinados em mantê-los funcionando. Isso é bom!

Outra atividade do sábado foi monitorada por mim (^^ muito gratificante). Com os alunos da turma II e outros novos integrantes, praticamos a arte do “bem-desenhar”, e nos esforçamos para expor desenhos incríveis a partir de um programa bastante conhecido nosso, o Paint. Muitos enganam-se ao descrever esse programa como um mero ilustrador. Já vi trabalhos espetaculares feitos a partir dele, os quais você pode até acreditar serem criados em Corel ou Photoshop. Bom, desenhos espetaculares: este é o nosso objetivo (meu e dos meninos)! hehe

Já a outra parte da turminha novata, auxiliados pelo professor Márcio Carneiro, puderam colocar em prática aquilo que já haviam aprendido em um primeiro momento: técnicas básicas para se produzir um vídeo. Os alunos saíram para criar VTs e depois os expuseram em sala de aula.

No mais... é isso.

E Anissa tá de olho, pessoal! Mãos a obra com o Webs!

Sessão de cinema

Por Jessica Wernz 

No sábado passado as turmas das três oficinas se reuniram para uma sessão de cinema na TV VE. O filme foi “Os pinguins do papai”, muito engraçado por sinal.

Antes de o filme começar, o professor Márcio Carneiro deu os direcionamentos necessários para que os expectadores analisassem aspectos do longa, como movimentos de câmera e enquadramentos.

Depois de muitos risos e um final pra lá de emocionante, quando o filme acabou (já pelas 11 e tantas) com a fome apertando, fomos fazer um lanche com direito a pipoca, biscoito e refrigerante.

A ideia agora é que Anissa Ayala e eu (talvez) passemos para os participantes do projeto informações sobre como atualizar o site da TV VE postando fotos, notícias e vídeos. Isso porque os jovens devem ter domínio do site, que é a principal ferramenta do projeto.

uhull...

 

No último sábado, dia 29, nós da TVVE fomos visitar a II Mostra Científica do Maranhão no estacionamento do Shopping São Luís. O passeio fez parte do encerramento da segunda turma da oficina de Produção Audiovisual.

Que aventura!!! Uma manhã incrível que contou com a colaboração e participação de todos.

Realizamos tantas viagens legais e interessantes... Pelo espaço! Pelo mar! Pelas tecnologias. Tudo isso em apenas uma manhã.

Eu, naturalmente, me empolgo com tudo. Mas eu percebi que toda essa empolgação não partia só de mim não. Todos da galerinha TVVE se mostraram bastante entusiasmados, fascinados, emocionados e muitos mais “ados” que vocês possam imaginar.

Nossa primeira viagem acontece pelo espaço conhecendo os diversos planetas que cercam a nossa querida Terra, além de conhecer as estrelas e suas denominações, tudo graças ao planetário.

 A segunda aventura foi em alto mar num barco chamado Standart que nos levou a Alcântara e nesse tempo aprendemos como se constroe um barco e, também, as técnicas de navegação. Muuuuuito legal!

Depois penetramos num mundo bastante atraente: o mundo da tecnologia! Conhecemos o cubo mágico e lá interagimos com ferramentas que hoje já estão ao nosso alcance como, por exemplo, o Kinect.

 

Nossa... viajamos tanto que a manhã logo terminou e tivemos que retornar às nossas casas. Mas, pela expressão no rosto de cada um daqueles jovens, posso garantir que nossa viagem durou por muito mais tempo para eles.

E no próximo sábado, dia 05, vamos dar início à mais uma turma do TVVE que irá compor a terceira oficina de Produção Audiovisual. Não sabemos como será e nem que tipo de alunos teremos. Só sabemos de uma coisa: muita produção vai surgir e, consequentemente, muitas novas descobertas.

Então... vamos esperar para ver!

 

Jornal TV VE

por Jessica Wernz

No sábado passado, enquanto minha amiga Anissa estava visitando a família no interior e minha amiga Tayara estava se sentindo mal (tá melhor Tayzinha?), fui para a Vila Embratel participar das atividades.

A atividade realizada no sábado foi a gravação de um jornal que chamamos de "Jornal da TV Vila Embratel". Achei muito legal a ideia e eu pensando que ia ficar só curtindo a gravação fui logo ganhando o papel de produtora junto com Jeyci. E por falar em papel, na falta do telepronter (é assim que escreve é? percebam meu entrosamento com a área de TV) tivemos que improvisar com a famosa "dália", sabe aquele papel ou cartolina que fica próximo da câmera e socorre homens e mulheres da TV no momento de dizer ou lembrar alguma coisa? poisé, isso é "dália".

Beleza! Eu e Jeyci como produtoras, prontas para escrever as dálias mas... "kede" o papel? Pois é, não tinha papel. Fomos então em busca de uma livraria andamos e andamos e só achamos papel colorido ¬¬'... era o jeito.

E pronto... gravando! Eita mas cadê a primeira dália? E o professor Márcio Carneiro grita: PRODUTOOOORAS! Enquanto íamos escrevendo as dálias o pessoal ía gravando. E foi assim até a última dália ficar pronta: PRODUTOOOORAS!

Duas versões do mesmo jornal foram feitas, uma com os novatos e outra com os veteranos. Ainda bem que na segunda as dálias já estavam prontas. Confesso: o pouco que fiquei como produtora pensei: TENSO! Mas é muito legal, eu gostei. 

Foram gravados vídeos apenas no estúdio improvisado, a matéria e a entrevista ainda serão feitas para o jornal. E no próximo sábado os editores irão trabalhar com os vídeos, juntar, cortar, colar, colocar caracteres...  para deixar o jornal com cara de jornal. Vale a pena conferir o resultado final.

Pois é... até a próxima.

"tem sido animador."

Por: Tayara Ribeiro

Então, estou estreando o Intervalo e, fazendo um resgate do que a Jeyci publicou em seu primeiro post: “MINHA PRIMEIRA VEZ”, também passei horas e até dias (não é mesmo Anissa e Jessica? rsrs...), tentando elaborar algo que lhes repassasse os meus sentimentos e percepções hoje em relação ao Projeto.

Bom, o que posso dizer nesse primeiro momento é que tem sido muito prazeroso estar todos os sábados com todos ali: professor Márcio, companheiros de equipe e todos aqueles jovens super interessados da Vila Embratel.

Estou tendo a oportunidade de orientar jovens muito competentes, que só precisavam de espaço e incentivo para fazer brotar a criatividade. A Oficina de Animação foi idealizada pelo professor Márcio com esse propósito, de despertar na galerinha o interesse em criar, em colocar as ideias para fora.

No decorrer de nossos encontros, trabalhamos com a técnica de Stop Motion, o que foi muito divertido. Desenhos feitos à mão, criações com massinha de modelar e origamis. De tudo isso fizemos filmes, vídeos arquitetados em sala de aula e editados pelos alunos da primeira turma. Os jovens puderam fotografar, editar, filmar e o importante é que todos quiseram participar, veteranos e calouros, e até nós mesmos, orientadores, entramos na brincadeira.

Vejo outras realidades do meio audiovisual entrando para a realidade desses jovens, que têm cumprido as atividades muito bem e de uma forma divertidíssima. Incentivar os alunos a contarem histórias de um jeitinho diferente tem sido "ANIMADOR"!  =)

É isso. Vejo vocês em outro post!

Animação com origamis

Por Jessica Wernz
 
No último sábado (17), que fui à TV Vila Embratel, aprendi com as crianças da segunda oficina, a fazer florzinha de papel e ensinei a fazer um Tsuru, um pássaro do japão símbolo de boa sorte e felicidade. Isso porque estávamos preparando o cenário para a animação que iríamos fazer com origamis.
 
Origami é a arte japonesa tradicional e secular de dobrar o papel, criando representações de determinados seres ou objetos com as dobras geométricas de uma peça de papel, sem cortá-la ou colá-la. E foi pegando emprestado um pouco dessa arte japonesa que nós nos divertimos, aprendemos e produzimos uma nova animação para o site.

E enquanto nós montávamos os cenários para as animações em Stop Motion, a turma dos veteranos fizeram uma reportagem sobre as produções.
As animações em Stop Motion já foram feitas com desenhos em papel, massinhas e origamis. Enquanto isso, estamos aprendendo e nos divertindo muito.
 
Então... sayonara (tchau)!

CRIANDO E CONHECENDO

Por: Jeyci Sá

No último sábado (3) a criatividade tomou conta do pedaço. O professor Márcio Carneiro iniciou as atividades mostrando os desenhos criados no primeiro dia da oficina, que deixaram de ser um simples desenho no papel e foram parar na telinha do computador, transformados em animações.

Dando continuidade à oficina, a orientadora Tayara apresentou novas ferramentas de trabalho, abandonou o lápis e o papel e deu lugar a massinha de modelar (aquela que nós usávamos no jardim de infância). Inicialmente, os alunos demonstraram timidez para realizar as criações, mas, em pouco tempo mostraram habilidade, dando asas à imaginação. 

Após inúmeras invenções, chegou a hora de fotografar, talvez este tenha sido o momento mais complexo e trabalhoso da oficina. O cuidado nos detalhes dos movimentos foi essencial para dar vida a tudo que foi criado. 

O que nos resta agora é aguardar ansiosamente para vermos o resultado do nosso trabalho no computador.

 

 

E por: Anissa Ayala

 

É isso aí...

como a Jeyci já falou, foi muito divertido e agradável neste sábado, pois, demos asas à nossa criatividade e até nos surpreendemos com as criações. Eu, por exemplo, criei uma aranha muito fofa na qual batizei carinhosamente de Pirituba (uma singela homenagem à nossa colega Jessica Wernz).

O mais interessante foi ver como a criatividade toma conta dos jovens e como eles sabem explorar bem isso. Concordo com a Jeyci que a parte, digamos, "mais trabalhosa" foi ao fotografármos as criações, pois, exigia uma ângulo fixo mas que também deveria fazer com que as massas seguissem uma linha de ações em movimento.

Foi difícil fazer a Pirituba se movimentar, mas acho que conseguimos um bom resultado e assim que os jovens da primeira turma editarem os vídeos, iremos postar e apresentar a vocês o resultado final.

Acho que é isso... próximo sábado o intervalo fica por conta de Jessica Wernz que irá nos contar como foi o seu dia no TVVE.

Então, até lá...! 

 

A CRIAÇÃO TÃO PERTO DA REALIDADE

 Por: Anissa Ayala

A experiência do último sábado, 27, com os meninos do projeto foi muito legal, onde aprendemos uma nova técnica de animação em vídeo chamada Stop Motion. A ideia era fazer com que os alunos abusassem da criatividade dando movimento ao seu trabalho. Quem orientou essa atividade foi Tayara, nova integrante do projeto e estudante do 6º período de Comunicação Social –Relações Públicas.

Feita a apresentação, que nos deu uma ideia de como é a técnica do Stop Motion... é hora de brincar. As alunas do curso, Jeyci, Tayara, eu e até o professor (que tentou, mas não conseguiu fazer um desenho melhor que o meu) entramos na brincadeira e deixamos nossa criatividade fluir. Vários trabalhos interessantes surgiram assim como a descoberta de novos talentos.

 (Minha obra-prima ainda bruta):

 

Ao término dos trabalhos, o professor fotografou cada um e, ao apresentar no computador, nos deu uma ideia do nosso produto final (que na verdade só vai ser final mesmo quando a primeira turma editar e gerar uma animação com as criações e estamos ansiosos para isso).

 Essa manhã foi bastante produtiva e criativa... ganhei até um presente super fofo da Rhaynara que mostrou ter mais talentos, além do Stop Motion.                                   

 

(Presente de Rhaynara, uma menina super criativa. Obrigada!)

 

 

Então é isso, próximo sábado estarei novamente aqui...

Até lá!

Novidades

 Por: Jessica Wernz

Hoje é dia de novidades na redação da TV VE. Os alunos do projeto estão experimentando um novo programa de edição, o ArcSoft TotalMedia Extreme (parece que é isso). A tarefa de hoje é editar a entrevista que o Marcelo Amorim concedeu à TV VE quando esteve nos visitando no sábado passado.

Marcelo é coordenador executivo da Agência de Notícias da Infância Matraca e veio conversar sobre temas relativos à violência infantil no Maranhão, bulling e o Estatuto da Criança e do Adolescente.

O resultado foi uma entrevista descontraída realizada pelos alunos do projeto. Agora a missão é editar!

Enquanto isso, na nova turma, o professor Márcio está usando a criatividade e o poder de interpetação dos alunos. A idéia é usar um teatrinho para explorar planos e angulações. O material final será editado pelos veteranos.

O professor Márcio não está utilizando o mesmo método que utilizou com a turma passada por conta da faixa etária dos novos alunos. O método agora é utilizar desenhos e brincadeiras para identificar e explorar os movimentos de câmera.

É isso aí! Novos alunos estão se preparando para integrar a equipe da TV VE.

A fome numa hora dessas (11:13) já faz parte e aqui na redação entre os cortes da edição já tem gente pensando no almoço.

Então tá...

CORTA!

2ª turma do projeto tv ve

Por: Jeyci Santos

No último sábado, 30 de julho, o projeto TV Vila Embratel iniciou a 2ª oficina de Produção Audiovisual. Os novos integrantes do projeto tiveram a oportunidade de saber um pouco do trabalho desenvolvido pelo grupo anterior, tirar dúvidas, além de conhecer técnicas básicas para a produção de vídeos.

         

As palavras que explicam a essência deste 1º encontro são: CURIOSIDADE e DESCOBERTA.

Aproveitando o momento de ansiedade dos alunos, o professor Márcio Carneiro apresentou o equipamento fundamental para a realização das nossas atividades: a câmera. De maneira totalmente descontraída e dinâmica, ele revelou algumas técnicas de como utilizar o zoom; em quais situações essa técnica pode ser utilizada; como enquadrar corretamente a imagem; a importância do plano de fundo, entre outros. 

Após estas explicações, os alunos deixaram a timidez de lado e começaram a pôr em prática todo conhecimento adquirido naquele encontro. A divisão do grupo em trios facilitou o envolvimento de todos na atividade, todos desempenharam as funções de cinegrafista, repórter e entrevistado. Ao final destas práticas, os trios apresentaram os seus vídeos que foram avaliados pelo professor, fazendo observações e apontando alguns erros e acertos.

“Minha primeira vez”

 Por: Jeyci Santos

Passei horas tentando esquematizar o que eu deveria escrever na minha estréia, após redigir e apagar diversas vezes, eu cheguei à conclusão que é só começar do começo!

Quando o assunto é comunidade popular, os meios de comunicação conseguem explorar apenas o lado negativo. Diariamente ouvimos, lemos, vemos e até acessamos na mídia matérias que abordam somente a pobreza, violência, drogas, entre outros. Diante disto, surge um questionamento “Será que as comunidades consideradas populares, assim como tudo na vida, não apresentam o lado positivo?”

O mais interessante da TV Vila Embratel é que ela busca exatamente apresentar um outro olhar sobre o cotidiano vivido  num bairro considerado periférico, fugindo daquele estereótipo formado pelo senso comum e pela mídia, de que nesse bairro existe somente crime, violência e tráfico de drogas.

Assim que conclui o Ensino Médio fiz vestibular para Serviço Social, mas, com o passar do tempo vi no Jornalismo a profissão que contempla todos os meus anseios, prazer e satisfação.  Acredito que o papel do jornalista vai muito além de ser um mero formador de opinião; acredito que o jornalismo tem o poder de transformar as pessoas, realidades e até comportamentos. Talvez, este seja um modelo de jornalismo utópico – é assim que muitos estudantes da área consideram esta opinião. Se for utopia – não me importo! Mas, esse é o principal motivo que move a minha vontade de continuar estudando e tornar-me profissional da área.

O interesse em participar do projeto surgiu desde o momento em que conheci o seu objetivo essencial – o de reunir jovens da comunidade para mostrarem os aspectos positivos do bairro. Durante a minha adolescência tive exatamente a mesma oportunidade que eles estão tendo agora, participei do “Agente Jovem”. Considero que a oportunidade de participar deste grupo, me fez sentir capaz de conquistar tudo que eu quero – sou a primeira da minha família a entrar na Universidade – e o “Agente Jovem” foi a peça fundamental para esta conquista!

Assim como o grupo que participei, vejo que na TVVE no decorrer de nossas atividades há descoberta de indivíduos inteligentes, criativos, sonhadores e que necessitam apenas de uma simples oportunidade para mostrarem um imenso potencial. Se eles serão jornalistas ou não, é o que menos importa! O importante mesmo é fazê-los enxergar a capacidade que cada um possui.

Hasta la vista!  

TROCANDO EXPERIÊNCIAS

Por: Anissa Ayala

Sábado, 16 de julho, às 8h da manhã decidi deixar minha quentinha cama para visitar o projeto TVVE. Não tive nenhum desconforto maior, visto que acordo todos os dias mais cedo do que isso para trabalhar, porém, sábado é sábado. Enfim...

Os meninos da TVVE foram chagando aos poucos. O primeiro guerreiro foi o meu querido colega Leandro, que já foi chegando com um grande sorriso que logo me animou, depois os demais alunos. Assim, já poderíamos começar nosso trabalho.

O professor Márcio começou perguntando a cada um qual a função que mais lhe agradava. Ser repórter, editor ou cinegrafista? A preferência era gravar e assim fizemos. A pauta do dia foi gravar depoimentos dos jovens, onde cada um deles faria uma breve apresentação, eu só não sabia que também iria participar das reportagens.

Assim foi... revezamos os papéis de entrevistador, entrevistado, cinegrafista, operador de áudio e fotógrafo, todos trabalhando em conjunto para produzir os depoimentos. E quer saber? Confesso que tremi na base, mas depois comecei a me sentir à vontade recebendo também o apoio e orientação dos jovens.

Uma palavra para definir aquele dia?

MARAVILHOSO

Adorei participar das gravações porque também aprendi com os meninos do projeto. Ou seja, participar do TVVE é aprender e trocar experiências, conhecer melhor a personalidade, o carisma, o ânimo de cada um, que é muito importante.

No mais, a galerinha do TVVE está de parabéns pelo grande desenvolvimento e produtividade em seus vídeos e pode ter certeza que irei mais sábado lá para acompanhá-los e aprender com eles também.

Até breve... ^^

editando

Por: Jessica Wernz

Editar uma matéria para TV é prepará-la para a publicação. Hoje, além de reconhecer, em matérias de jornais, elementos de uma reportagem como: off, sonora e passagem, os alunos do projeto TV Vila Embratel praticaram a edição de matérias.

Apesar de algumas dificuldades em lidar com o programa, eles estão se dedicando e logo, logo estarão aptos para editarem as próprias matérias.

Aos poucos eles estão se identificando com uma área específica da produção. Há os que prefiram encarar a câmera e se aventurar como reporter e outros preferem ficar atrás da câmera explorando ângulos e lugares. Há também aqueles que estão se identificando com a edição das matérias, montando-as para a publicação.

A equipe já está formada, a cada encontro estamos nos aperfeiçoando mais e mais.

Até a próxima!

VIAJANDO PELO MUNDO

Por: Jessica Wernz

Hoje (mais precisamente agora às 10:55), a equipe da TV Vila Embratel está produzindo vídeos com mensagens que viajarão para a França. As mensagens serão entregues a estudantes da École de La Paix (http://www.ecoledelapaix.org/), projeto que trabalha com a promoção da cultura de paz.

Os alunos da TV Vila Embratel estão contando sobre o projeto e querendo saber como funciona a École de La Paix. Eles ainda estão tímidos, mas aos poucos as perguntas vão surgindo. Os vídeos serão traduzidos, legendados e partirão para a França! A idéia é proporcionar um diálogo com os alunos da École de La Paix. Chique né? Posso contar que já estou ansiosa pelas respotas dos nossos mais novos amigos franceses.

O diretor do projeto francês já esteve visitando o adolescentro em um evento realizado pelo Comunica Paz, também projeto da UFMA, coordenado pela professora Vera Salles, que irá nos ajudar com o intercâmbio das mensagens.

Nós da TV Vila Embratel, esperamos que esta seja a primeira viagem de outras que o projeto irá fazer compartilhando suas atividades. 

Aproveitando o embalo, os alunos do projetos estão produzindo vídeos (que serão postados em breve), se apresentando, contando um pouco sobre eles.

Eita que hoje a produção está "bombando"!

Então... orrevuá! Até a próxima. 

equipe trabalhando

Por: Tiago Amate 

Neste primeiro sábado de junho, a equipe da TV Vila Embratel já começou a trabalhar. Ana Caroline, Daniela, Leandro, Maria Letícia, Enio, Cássio e Laíne chegaram ao Núcleo de Extensão da Vila Embratel para pôr a mão na massa e fazer as matérias. Agora é o momento em que nossos repórteres começam a produzir de verdade!

O professor Márcio Carneiro reuniu o grupo em breves instantes para revisar alguns procedimentos de uso das câmeras e discutir as pautas e coberturas que os participantes já tinham começado a executar. Logo depois, os meninos foram divididos em duas equipes de reportagem, cada uma coordenada por um monitor do projeto da TV online.

A primeira equipe foi com o Pablo cobrir o funcionamento do Mercado da Vila Embratel, onde acontece a “feirinha” do bairro. Lá eles entrevistaram pessoas e fizeram algumas novas passagens para acrescentar à filmagem feita antes. A segunda, coordenada por mim e pelo professor Márcio, fez a matéria do próprio Adolescentro, apresentando-o na reportagem. A equipe gravou com o professor fora do prédio e no laboratório de informática.

     

A novidade é que dessa vez tivemos a colaboração de uma nova estudante do Curso de Comunicação Social da UFMA! Depois de ter conhecido o projeto da TV Vila Embratel na XI Semana de Comunicação que aconteceu na Universidade, Jeyciane Sá resolveu visitar o Adolescentro para acompanhá-lo de perto.

Jeyciane e eu fazemos o quarto período de Jornalismo na UFMA – somos amigos de classe. Enquanto voltávamos juntos do projeto, ela me falou do tanto que achava importante a iniciativa da TV VE, por já ter vivido algo semelhante em sua comunidade. Disse ainda que pretende firmar compromisso com a TV Online por ter observado o desempenho dos meninos e ter muito interesse em ajudá-los.

Isso significa que temos uma nova integrante! E não pára por aí. É possível que nas próximas semanas tenhamos visitas de outros estudantes da Universidade Federal do Maranhão, que também se interessaram pelo projeto após conhecê-lo na apresentação do professor Márcio Carneiro durante a Semana de Comunicação.

Enquanto isso, nós vamos tocando o projeto. O trabalho dos nossos jovens repórteres está de vento em poupa e eles já começaram a se familiarizar com os equipamentos e as situações de reportagem. Dentro de pouco tempo teremos as matérias no ar!

Agora é só esperar a edição da equipe para ver as primeiras produções dessa incrível garotada!

Até a volta!

reta final: é hora de tomar decisões

Por: Tiago Amate

Enfim o último dia da 1º Oficina de Audiovisual. Passou tão rápido que praticamente ninguém percebeu. O pessoal foi chegando de pouquinho em pouquinho para participar do projeto que,de repente, todos já pareciam estar ali juntos há muito tempo.

Foram quatro encontros durante quatro semanas. Nas reuniões se fez de tudo um pouco: desde aprender a ligar uma câmera até entender a atuação e papel do repórter. Nesse meio tempo, testamos, brincamos, compartilhamos experiências e, principalmente, conhecemos de perto novas realidades (tanto os participantes quanto a monitoria).

Daniela, Enio, Ana Caroline, Maria Letícia, Thamires, Laíne e Leandro foram os participantes que apareceram no último sábado, dia 28. Dessa vez, o professor Márcio Carneiro resolveu fazer algo diferente para finalizar a oficina com “chave de ouro”. Em vez de dividir o pessoal em grupos, o professor coordenou uma atividade lúdica com todo mundo para a operação da câmera profissional e do outros materiais disponíveis.

Os meninos se revezaram no papel dos entrevistados, repórteres, operadores de áudio e cinegrafistas. Até eu e o professor nos metemos na dinâmica! Enquanto testávamos as váriaspossibilidades de montar entrevistas e passagens durante o treino, o professor Márcio avaliava a melhor forma de elaborar o material ao repassar as informações e coordenadas básicas para a produção dos vídeos.

Após tentar várias vezes a montagem do material com o revezamento dos meninos, nós revisamos os vídeos com todos em sala para observar os erros cometidos. O melhor ficou para o final, quando a dinâmica deu gás à oficina e todos tiveram que usar da desenvoltura para colocar em prática os princípios aprendidos. 

Quando terminamos, o professor Márcio reuniu todos os participantes para uma conversa. Havia chegado a hora de saber quem iria ficar realmente no projeto. Na roda, além dos sete participantes, estava presente o Arisson (mais conhecido como careca), que é professor de dança de rua no projeto Comunicapaz e se interessou em acompanhar o projeto da TV Vila Embratel.

Apesar de uma ou outra ressalva, todos os presentes disseram SIM! Isso sem contar alguns dos que faltaram, como a Geysa, mas que já estão compromissados a continuar no projeto. O interessante foi observar que muitos dos meninos já deixaram claro suas preferências: enquanto uns gostam da ideia de serem repórteres, outros já escolhem ficar mesmo por detrás das câmeras.

Com tudo certo, agora é hora de pensar nos próximos passos. A primeira reunião de pauta dos futuros repórteres da TV Vila Embratel já foi agendada para o próximo sábado. Os meninos vão trazer ideias do que cobrir no bairro para começar a fazer as matérias. Afinal, mal podemos esperar para saber que histórias essa garotada tem para contar.

Logo começaremos uma nova etapa da TV online e você já pode até imaginar o que esses jovens vão fazer ao colocar a mão na massa. Então, até lá!

futuros repórteres: incentivando aprendizes

Por: Tiago Amate 

 Chegou a hora de contar histórias! Depois de aprenderem sobre algumas técnicas de produção audiovisual, os participantes da Oficina da TV Vila Embratel entraram em contato com a principal atividade jornalística na terceira etapa do projeto. Thamires, Geysa, Daniela, Maria Letícia, Ana Caroline, Leandro, Enio e Douglas (novo integrante) foram instigados a narrar histórias reais como repórteres.

Até agora, o professor Márcio Carneiro só já havia testado a desenvoltura da garotada no gênero da entrevista e no manuseio dos equipamentos. Dessa vez, eles fariam um pouco mais do que isso durante a Oficina. A experiência seria dar vida aos acontecimentos com um olhar desenvolvido por eles. Além de filmar as pessoas e coisas que compusessem o cenário da notícia, os futuros repórteres treinariam as passagens telejornalísticas, apresentando o acontecimento a um público fictício.

Ao receberem as máquinas e se dividirem mais uma vez em grupos, os meninos seguiram do Adolescentro em busca de alguma coisa que pudesse ser noticiada. Logo de primeira, um grupo se deparou com as atividades da Campanha de Vacinação Antirrábica, que estava acontecendo bem ao lado do Núcleo de Estudos da Vila Embratel. E lá foram eles falar sobre o que viram! No meio de gatos e cachorros, Daniela, Leandro e o novato Douglas se revezaram para cobrir a campanha, tentando fechar as passagens jornalísticas corretamente.

      

Geysa, Maria Letícia e Enio, que formaram a segunda equipe, foram um pouco mais longe para cumprir a atividade. Supervisionados pelo monitor Pablo Habibe, os meninos seguiram para a Feira do bairro da Vila Embratel com a máquina nas mãos. Durante a visita, eles fizeram algumas imagens que exploraram a estrutura do comércio local. Os meninos também tentaram montar as passagens jornalísticas, apesar de não terem executado entrevistas com os moradores e feirantes.

O terceiro grupo (ou melhor, dupla) foi escalado para apresentar a Oficina de Teatro que também ocorre aos sábados pela manhã no Adolescentro. Thamires e Ana Caroline fizeram imagens das crianças que tinham aulas de encenação no momento da matéria. As meninas produziram algumas passagens no lugar, explorando a dinâmica do plano de fundo na reportagem. Depois de várias tentativas, elas conseguiram finalmente apresentar a matéria, enquadrando a repórter e as crianças que encenavam logo atrás.

Com o material já pronto, o pessoal voltou à sala para analisar os vídeos produzidos pelos três grupos. O professor Márcio Carneiro, junto aos monitores do projeto, assinalou alguns problemas e acertos da produção audiovisual da garotada. No momento, a equipe voltou a ressaltar a importância de captar as imagens separadamente para depois serem realizadas as passagens, onde eles teriam que contar o que estava acontecendo. Mesmo com alguns erros, os grupos já mostraram algo muito importante: a criatividade para a execução dos vídeos telejornalísticos.

Todos nós que estamos acompanhando esses jovens desde o início da Oficina de Produção Audiovisual percebemos a vontade que eles têm de produzir. A garotada vem mostrando gás para executar as atividades e a expectativa é de que muitos fiquem no projeto efetivamente para auxiliar na construção da TV comunitária. Apesar da timidez e inexperiência de muitos, o grupo está realmente interessado em aprender. E, pelo menos por enquanto, isso tem dado muito certo.

Depois de três semanas, o pessoal parece estar bastante familiarizado com as atividades. E quem acha que a oficina já acabou, está enganado! Acompanhando o desempenho dos alunos e a eficácia das exposições, o professor Marcio Carneiro resolveu estender a oficina por mais um sábado. Isso deve reforçar ainda mais essa primeira fase de preparações dos futuros repórteres. Agora, eles darão continuidade às coberturas que não foram finalizadas no terceiro dia da oficina.

Os jovens da Vila Embratel já faziam reportagens desde a semana passada, quando cobriram o evento do Comunica Paz no Adolescentro. Até então, eles só registraram as atividades sob a supervisão dos monitores. A partir desta semana, porém, os integrantes da equipe já começam a ter maior liberdade na produção dos vídeos. Para incentivar a produção independente, o professor Márcio Carneiro disponibilizou uma câmera aos grupos, que se revezarão para conseguir novos materiais até o dia 28 de maio.

Literalmente, essa garotada está aprendendo com aquilo que faz! Ao dar vida à notícia, os jovens da Vila Embratel estão vivenciando algumas das prazerosas experiências oriundas da labuta jornalística. Sem subestimar a busca pelo conhecimento, são eles que nos mostram como é necessário viver de tentativas para fazer algo cada vez melhor. Só tentando mudar é que se aprende de verdade! E isso eles já sabem de sobra.

câmera, luz e ação...ops! será só isso mesmo?

Por: Tiago Amate 

No dia 14 de março, segundo dia da oficina, deparei-me com uma situação interessante. À caminho da Vila Embratel, comecei a conversar com um senhor que estava no mesmo carro que eu. Fiquei surpreso ao descobrir que ele já sabia do projeto da TV Vila Embratel, cujo início datava de tão pouco tempo. Isso me fez pensar na expectativa de uma comunidade inteira em cima dessa oportunidade de ter seu bairro divulgado através de processos alternativos da comunicação. Quando imaginei isso, não pude deixar de conectar a situação com o trabalho que espera a nossa equipe para a construção da TV Vila Embratel com esses jovens.

            

Chegando lá, olhei que o grupo de participantes já não era mais o mesmo. Aos primeiros integrantes, uniram-se mais três jovens que compareceram a esse segundo dia da oficina: Daniela, que já havia ajudado a divulgar a TV Vila Embratel pelo bairro, Enio e Rodrigo. Na ocasião, também apareceu um ouvinte, que contribuiu bastante para as discussões daquilo que seriam as primeiras pautas dos participantes da oficina.

O professor Márcio Carneiro trabalhou neste último sábado com aspectos necessários para a produção jornalística. Além de explicar alguns dos termos técnicos do telejornalismo aos jovens (como off, passagem, cabeça, sonora, etc.), o professor pautou a questão da hierarquização das informações no processo de produção telejornalística.

Após as explicações, eles voltaram a gravar vídeos pelo prédio. Quem os acompanhou e fotografou foi o outro integrante da equipe da UFMA, o estudante Pablo Habibe. Como não houve exibição geral para discutir a produção dos alunos, foram logo esclarecidos os objetivos da oficina.

Conversa vai, conversa vem, decidiu-se logo por montar as primeiras pautas para que os participantes comecem a cobrir a realidade que os cerca no bairro. O interesse está em mostrar aquilo que não é divulgado pelos outros veículos de comunicação de São Luís, que estão acostumados a retratar a Vila Embratel do ponto de vista policial; problemático. Divididos em duplas, os estudantes foram direcionados para as duas primeiras coberturas a serem veiculadas na TV Vila Embratel ONLINE.

A “deixa” foi o evento que envolverá o projeto Comunicapaz, também sediado no Adolescentro, na quinta-feira, dia 19 de maio. O projeto vai receber pela tarde representantes da ÈCOLE DE PAIX que atuam nessa área da Comunicação de Paz e à tarde do mesmo dia, ocorrerá a Oficina de Teatro, também integrante do projeto. Os participantes da Oficina de Produção de Audiovisual vão comparecer ao local com o objetivo de executarem a prática jornalística necessária à veiculação na futura TV Vila Embratel, produzindo matérias sobre as respectivas pautas.

Além destas abordagens, os participantes elencaram uma série de temas que suscitam a cobertura no bairro. A divisão de tarefas empolgou “de cara” os participantes, que já começam a se deparar com a reunião de pauta, situação corriqueira para a produção noticiosa da TV Online.

Até agora, essa experiência de Jornalismo Participativo tem assegurado bons resultados à proposta da equipe. Os jovens já começam a pensar em atuar como repórteres ou cinegrafistas no projeto, enquanto nossa equipe fundamenta pontes para fortalecer o processo de democratização da comunicação entre eles e o produto jornalístico final.

Mesmo sem perceberem, eles já demonstram uma naturalidade única naquilo que fizeram durante os dias de oficina. O conhecimento de cenário que apresentam, o modo particular de narrar e a proximidade com que podem falar da Vila Embratel vão além do simples processo de filmar. E é exatamente isso que faz com que o projeto da TV Vila Embratel online seja muito mais do que um simples “Câmera, luz e ação!”.

pontapé inicial

Por: Tiago Amate 

Depois de divulgar os passos iniciais do projeto da TV Vila Embratel através dos mais variados veículos de comunicação em São Luís, a nossa equipe começou a colher os frutos desse esforço logo no primeiro dia de inscrições para a Oficina de Produção Audiovisual do projeto. Ainda em pequeno número, alguns jovens e pais apareceram no Núcleo de Extensão da Vila Embratel para conferir essa interessante possibilidade de vivenciar a experiência televisual.

Os primeiros jovens que apareceram no dia das inscrições foram os que nos ajudaram a divulgar com maior facilidade o projeto da TV online pelo bairro da Vila Embratel. Alguns se responsabilizaram por apresentar a oficina em suas escolas e outros nos acompanharam até as principais lan houses do bairro, onde colocamos cartazes do projeto e comunicamos às pessoas sobre o início das atividades.

Foi então, duas semanas após espalhar a notícia do projeto da TV Vila Embratel aos quatro cantos da cidade, que a equipe do professor Márcio Carneiro resolveu dar início à 1º Oficina de Produção Audiovisual. Apesar de apenas o Leandro, Thamires, Geysa, Maria Letícia, Laíne e Ana Caroline terem aparecido para participar do primeiro momento da oficina, o engajamento e a vontade de aprender sobre a produção audiovisual superou qualquer expectativa anteriormente fria.

Os meninos passaram boa parte daquela manhã do dia 7 de maio produzindo vídeos. Antes de serem colocados para praticar, eles receberam algumas instruções sobre o manuseio exigido pelos equipamentos para essa filmagem, como noções de enquadramento, angulação, aplicação da luz, além das demais técnicas de utilização da câmera.

O grupo, que chegou um tanto tímido à oficina, logo se soltou. Os jovens se dividiram em duas equipes e começaram a circular pelo Adolescentro com uma câmera na mão. Migrando por vários espaços, os participantes se revezavam entre o papel do entrevistador (jornalista), do entrevistado e do cinegrafista. A experiência pareceu ser bastante divertida ao grupo, que se empolgou com a simulação do processo.

Ao observar a produção dos estudantes, eu, o professor e até mesmo os próprios jovens teciam críticas de como melhorar os aspectos dessa produção audiovisual. O interessante foi observar que alguns já apresentavam talento mais para uma função do que para outra, o que enriqueceu brandamente o resultado inicial da oficina.

Enquanto fotografava a atividade dos jovens, pude observar a criatividade e o interesse deles pelos resultados. O mais engraçado foi notar a naturalidade com que esses adolescentes falavam do próprio bairro: como parte viva dele. Na maioria das vezes em que iniciavam as entrevistas era possível observar pequenos detalhes do dia-a-dia deles, como a opinião que tinham do ambiente em que viviam, as suas experiências e até conhecimentos.

Leandro, Thamires, Maria Letícia, Geysa, Laíne e Ana Caroline não só se descontraíram, como aprenderam de forma livre a trabalhar com essa produção de vídeos. Depois de rirem ao observar o trabalho dos colegas, tecerem críticas sobre os quesitos discutidos e prestarem atenção nas instruções de trabalho, os estudantes já puderam sair motivados com o pouco que conheceram no primeiro dia da Oficina de Produção Audiovisual para a implantação desse projeto da TV Vila Embratel.

Primeiro dia

Gente nova chegando. Novas caras, grandes expectativas. Começar um projeto é aceitar um desafio. Principalmente quando é um projeto de extensão que envolve a comunidade. Onde as coisas que pensamos lá na Universidade encontram o mundo real. O projeto TV VE está começando com a primeira oficina do ano e acho que iniciamos bem. Mas a oficina é só a primeira parte do projeto. Depois que passarem por ela, os participantes começam a contar suas próprias histórias sobre o bairro onde moram e as pessoas que conhecem. Ai entramos definitivamente NO AR.